Nina e o sentido da perda

Perdi uma das minha gatinhas, a Kátia Marina, minha neta soube da notícia e veio me consolar via whatsapp.

– Vovó por que morreu sua gatinha? Ela era tão bonita. Qual gatinha que morreu? Abraço e beijo e ai, por que ela morreu? Ela era muito bonitinha. Por que você está triste, se a vida é assim… todos morrem. Um dia eu vi um cachorro morrido, coitado, mas eu não vou contar onde, é um segredinho.

 

Exibem poemas

Exibem

A pele como camiseta

Nas mãos, de cada um,

Três limões murchos

Que,

Depois do breve espetáculo,

Não dariam uma limonada.

 

Ágeis

Corpos esquálidos.

Um trepa no ombro do outro.

Começam.

Trocam limões

Que

Descem, sobem,

Dançam.

Tentam cair,

Escondem-se,

Equilibram-se

Por entre mãos magras,

Seguras do ato

 

Mágica.

 

Com a mesma rapidez da subida,

Escorrega pelas costas do parceiro

Agarradinho,

Agradecendo o momento,

 

Deslizam entre os carros,

Recolhem moedas.

 

Na parte da frente da camiseta

Cor da pele transparente,

Quase apagados,

Uns escritos com liquid paper

Ou seria com pasta de dentes?

 

Deus é fiel.

Jesus te ama.

Como assim?

Ela se pergunta

Do outro lado da cena

Na ausência presente do momento

 

Cachê recolhido.

Nesse dia

O produto vendido:

Arte.

Malabarismo com limões murchos

E com a vida.

 

Texto publicado em 2017 pela FLUP  no livro Seis temas á procura de um poema.

DeSaBaFo

Um aluno do Colégio Hebe Camargo indignado com os rumos que a educação está tomando:

“Existem alguns mitos fundamentando as atividades e didáticas para com o terceiro ano. A princípio, não era interessante para uma parcela do colégio que os alunos fossem reprovados, tampouco que ficassem de recuperação, óbvio, para a “instituição” manter as verbas de investimento em “pesquisa” é necessário que o pesquisador faça com o que os ratos deem certo e apresentem resultados positivos. Nos dois anos anteriores tinha sido decidido que seriam 3 pontos para o TI, 1 ponto para o SAERJ e 6 pontos para as avaliações específicas dos professores, pois bem, neste ano ficou decidido que seriam 8 pontos para as avaliações específicas e 2 pontos para o ti, colocando os alunos “nas mãos dos professores” (sim, ouvimos isso da boca de alguns professores), criando um sentimento de revanchismo, porque quando o TI valia 3 teoricamente bastava que os alunos fizessem o mesmo e conseguissem apenas mais 2 pontos nas avaliações específicas para ficarem na média, ou seja, aprovados, o que fazia com o que alguns alunos literalmente cagassem para algumas avaliações específicas, porém se é esquecido de alguns aspectos subliminares que foram passados de forma microscópica para os alunos, começando com o SAERJ valendo 2 pontos e o TI (que na maioria das vezes se resumia em dançar e cantar) valendo 3, isto deixa claro a primeira visão do colégio quanto a seus interesses, seria o ENEM ? Ou a venda da imagem da unidade escolar? Tudo parece normal, mas basta olhar com estranheza para desconfiar. Fazendo uma adaptação de um versículo bíblico para representação, se era dito aos alunos de forma indireta: Buscai a Dança e o Canto, e as demais coisas vos serão acrescentadas. Retomando, com todo este revanchismo tive que ouvir da boca de um professor a seguinte frase: “vou provar com esta avaliação que vocês nunca tiveram que estudar para passar de ano”, pois bem, aproximadamente 42 zeros no primeiro dia e 7 zeros no segundo dia de avaliação, só eu que estranhei a discrepância? Se o objetivo citado logrou êxito, podemos entregar o diploma de conclusão do ensino médio aos alunos que a realizaram no segundo dia e reprovar os que a fizeram no primeiro, são verdadeiros gênios quando comparados uns aos outros, e isto quando olhado com estranheza faz pensar que o real objetivo por trás destes mitos é provar para o aluno que ele não é tão bom quanto pensava, autossatisfação, vergonha alheia. O segundo mito (que tem a ver com o primeiro) é o de que o terceiro ano TEM que ser o ano mais difícil, quanto a isto digo que na verdade é apenas mais um ano, ano de conclusão, com enfoque nos vestibulares (que a propósito não temos tempo para estudar), estamos cansados, estamos no primeiro bimestre e eu já me sinto exausto, castrado emocionalmente, desmotivado após o êxito das novas estratégias, conseguiram, talvez nós não sejamos tão bons quanto pensávamos. OU, talvez o HEBE tenha alunos que acordam as 5 horas da manhã e que só chegam às 19 horas em casa, que talvez tenham família, que talvez tenham que cumprir com as obrigações de casa (lavar banheiro, louça, quintal…), que talvez tenham sonhos fora dali, que talvez tenham religião, que talvez namorem, e que não talvez, mas que com certeza tenham as seguintes atividades (esta semana por exemplo): SEGUNDA: prova de sociologia e de redes de satélite, TERÇA: recuperação de física (ou prova mesmo, quase todos ficaram reprovados) e entrega do TCC reescrito, QUARTA: prova de história e entrega do trabalho de micro controladores 2, QUINTA: prova de sistemas de vídeo e entrega dos mapas de geografia, SEXTA: prova de filosofia, prova de sistema móvel, prova de matemática e 2 provas de inglês. Ainda é domingo, e eu já estou me LAMENTANDO por esta semana, é humanamente impossível estudar com excelência para todas estas provas, inclusive prevejo notas vermelhas, e mais humanamente impossível fazer bons trabalhos para entregar. Jájá me despedirei da minha família, só a verei daqui uma semana….

Se eu vou viajar? Não… Vou para o HEBE SUCESSO!”

aSSiM São oS PáTioS DaS eScoLas XVII

– Ô Professora! 
– Diga.
– Pensei que ia morrer sem fazer 15 anos.
– É mesmo! Por quê? 
– Voltando pra casa da escola, outro dia,foi sinistro…
– Foi? O que aconteceu? 
– Os polícia armados, apontaram a arma pra nós, sem dizer nada… Eu tremia pra caramba com medos deles…
– Mas você não é bandido, não deve nada pra eles, não precisava ficar com tanto medo né? 
– Qual é prof, não sou bandido, mas sou pretinho… Mais na frente perto do postinho…
– Que postinho? 
– Aquele ali perto da padaria, a senhora conhece não? 
– Não. 
– Ali veio os meliciano e perguntou se nós era traficante.
– E…
– Disse que não, né professora, mesmo que fosse não ia dizer, acabava na vala. Dai eles falou, fecha com a gente que tá tranquilo. É que eles estão querendo invadir aqui…e não acabou ainda. 
– Não? 
– Já perto de casa veio os traficante. E ai moleque, beleza? Beleza. Direto pra casa que hoje a chapa esquenta. Vaza, vaza, não fica na pista, entendeu? 
– …
– Tá vendo aí professora quase não completo 15 anos.

Depois fiquei analisando o acontecido.
A polícia aponta arma e só olha.
A milícia quer aumentar o contigente.
O traficante protege. 
Mas afinal é no final são todos do mesmo lugar. Periferia da periferia do Estado do Rio de Janeiro

CiuDad aLFaRo

Onde – Montecristis – Provincia de Manabi – Ecuador

Quando – janeiro de 2016. Esse lugar virou museu, pois ai foi decidida a nova Constituiçao Equatoriana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

eN La CaSa Del MaGo

“Mistérios sempre há de pintar por aí”

Gilberto Gil

Todos tem algum Guru na vida, o meu é um chileno que vive em Quito, em ele confio, a ele daria toda minha vida de um único gole.

Desperto a curiosidade e digo; Mi Diablo Guardia, le quiero mucho y siempre, su Violeta.

Escrito nas estrelas

Carlos Rennó e Arnaldo Black

Você pra mim foi o sol
De uma noite sem fim
Que acendeu o que sou
E renasceu tudo em mim

Agora eu sei muito bem
Que eu nasci só pra ser
Sua parceira, seu bem
E só morrer de prazer

Caso do acaso
Bem marcado em cartas de tarôt
Meu amor, esse amor
De cartas claras sobre a mesa
É assim
Signo do destino
Que surpresa ele nos preparou
Meu amor, nosso amor
Estava escrito nas estrelas
Tava, sim

Você me deu atenção
E tomou conta de mim
Por isso minha intenção
É prosseguir sempre assim
Pois sem você, meu tesão
Não sei o que eu vou ser
Agora preste atenção
Quero casar com você
Add a playlist
Cifra
Imprimir
Corrigir

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

PeDra De GuaRaTiBa eM CLiQueS

Faz quatro anos que moro na Pedra de Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro, alguns dias atrás acompanhei meu amigo fotografo, Jorge Ferreira, em uma volta pela região com o intuito de aprender a fotografar, já que estava com um profissional e uma máquina legal. Deparei-me com um bairro bonito, mas com um lado que não gostei. Um crime ambiental na baía de Sepetiba, matando a belaza a sua volta. Espero que as fotos falem por si.

Este slideshow necessita de JavaScript.

eNTReGa – eRa uMa VeZ No PaPeLão

Os livros e as bonecas Abayomis produzidos pelos meus alunos foram entregues para as crianças de Sepetiba, uma ação que se denomina Crianças com Oxalá. Essas crianças são apadrinhadas, recebem presentes e um dia com brincadeiras, músis e muita pizza.

Os adolescentes da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro está deixando um legado para os pequenos. Obrigada a todos os meus alunos pela bondade e disposição.

Este slideshow necessita de JavaScript.

eRa uMa VeZ No PaPeLão…

Um projeto, uma prática pedagógica de Língua Portuguesa que desenvolvo com meus alunos da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. Este especificamente nos CIEPs – Otávio Malta e Martins Pena, com 2º e 3º ano do Ensino Médio.

Desta vez, o projeto foi baseado nos contos de Mia Couto, do livro: Estórias Abensonhadas

Em pares, eles recontam as narrativas e fazem as ilustraçãos que podem ser desenhadas ou feita com colagem.
Assim eles aprendem a escrever, ordernar as ideias e treinar o olhar para uma leitura maia aguçada.

O que faço depois com esses livros?

Esse ano serão doados para as crianças que irão até a nossa Tenda Espírita para passar a tarde conosco, brincando e comendo pizza. Crianças com Oxalá.

Este slideshow necessita de JavaScript.